sexta-feira, 8 de julho de 2016

Aparências

Para que não nos tornemos pessoas vazias é necessário que nos cerquemos de pessoas cheias. 


As pessoas são o que são, mesmo que criemos uma versão que queremos delas, ainda sim, serão elas. 

Existem pessoas que como Herman Hesse disse, são como folhas arrancadas, sem objetivos, sem sonhos, vivem e só. São mais felizes, é fato, pois sequer percebem o quão vazias são, logo, são cheias para si mesmas. "Como as invejo!"

Elas vivem em um mudo minúsculo, donde roupas, fotos, festas, curtidas, e comentários em redes sociais são o  universo.  Trabalham para aquilo e vivem para nada. Vivem de aparência e utilizam o seu  tempo e suor para aperfeiçoar aquela aparência superficial, afinal, resumem-se a embalagem que as revestem e o resto são tendões, carne e ossos e tais itens não aparecem ao público... 

 Elas não buscam um sentindo para a vida, afinal, não necessitam de tal sentindo, pois a vida é simples demais: basta continuar,  e  continuam, embora caminhem em uma esteira sem sair do lugar, mas isso não importa  já que não se dão conta de tal fato. 

Tais pessoas não questionam nada, tudo está bem o tempo todo, afinal são vazias de si mesmas. Seus objetivos são nítidos e conquistá-los requer apenas tempo e, não muito, já que o futuro que almejam é apenas de dias a frente.  Seus pensamentos se resumem em: "que embalagem vou comprar para ir a próxima festa, pois não posso repetir a da anterior?"  Essas pessoas constroem um personagem superficial de si mesmas em redes sociais acabam se resumindo aquele personagem, pois estão destinadas a estarem eternamente presas a ele, uma vez que é preciso manter as aparências. E ainda se vangloriam por meio de status lindos e plagiados a respeito da sua liberdade invejada por muitos. Como as invejo meu Deus! 

E como somos influenciados pelo Meio, logo, se nos rodearmos de pessoas assim, há o risco maravilhoso de nos tornarmos iguais a elas. Quem dera!  Pois todos os meus questionamento quanto a liberdade se resolveriam, uma vez que tais pessoas caminham pela vida como uma folha seca ao sabor dos ventos. Quer liberdade maior do que essa? Não saber para onde ir, tão pouco querer ir a lugar algum. Essa talvez seja a verdadeira liberdade a muito almejada pelos grandes filósofos da nossa história. 
"Como as invejo meu Deus! São tão felizes!"